E-Book – Autodesenvolvimento – Como tornar realidade meu desenvolvimento?

autodesenvolvimento

De quem é a responsabilidade? Sua ou da empresa?

Durante quase 23 anos trabalhando na área de Recursos Humanos e, mais especificamente, em treinamento e desenvolvimento, esta questão da responsabilidade pelo desenvolvimento das pessoas era sempre uma polêmica. Alguns empregados achavam que a responsabilidade era da empresa e outros sempre estavam buscando cursos, palestras e outras oportunidades de se desenvolverem.
Eu sempre acreditei na premissa de que o AUTODESENVOLVIMENTO é responsabilidade de cada pessoa. Obviamente que é papel da empresa capacitar, fornecer conhecimento e as informações necessárias para a execução das atividades, mas o Autodesenvolvimento vai muito além da atividade, é intrínseco e a atitude de querer se autodesenvolver é do indivíduo.

No entanto, o que eu mais via eram pessoas paradas em suas atividades, fazendo apenas o que eram demandadas e a cada momento que alguém era promovido, muitas destas pessoas se sentiam preteridas e injustiçadas. Uma das frases que sempre ouvia era “se a empresa quer que eu faça tal atividade, ela deve pagar o treinamento para mim”. E, ao longo dos anos, vi muitas pessoas pararem suas vidas e estacionarem na mesma função ou atividade exatamente por pensarem assim.

Antigamente, de fato, as empresas investiam muito em desenvolvimento, mas o que percebemos hoje é que os investimentos são mais restritos. São atrelados a resultados por mérito e desempenho e, muitas vezes, as empresas investem naqueles treinamentos que são obrigatórios por lei, e, cada dia mais, o autodesenvolvimento passa a ser responsabilidade do individuo. Não dá mais para as pessoas pararem no tempo e esperar que a empresa invista nelas. É preciso ser protagonista da sua carreira, do seu crescimento pessoal e profissional e principalmente do seu autodesenvolvimento que envolve todas as áreas da vida do intelectual, emocional, profissional, social e espiritual.

Neste artigo minha intenção é descrever quatro pontos principais que, de forma sequenciada, podem ajudar-lhe a gerenciar seu desenvolvimento.

1. Concentra seu esforço > 2. Estabeleça um plano >3. Experimente cada dia> 4. Peça feedback.

1-Concentra seu esforço em duas ou três competências por vez.
Melhorar em certas competências leva tempo, dedicação, esforço e disciplina. Não é de uma hora para outra. Por isso, o ideal é selecionar duas ou três por vez e focar sua atenção e energia a fim de dar um salto importante nestas competências, em vez de trabalhar um monte de competências de uma só vez e avançar em “ritmo de conta gotas”.
Mas, que competências selecionar?
Uma alternativa é solicitar ajuda de seu Líder imediato e ter em vista o seu resultado de avaliação de competências aplicado na empresa. Se você trabalha em uma empresa que não tem este processo implantado, pode simplesmente conversar com seu Líder, com seus pares e pedir um feedback sincero. E, uma autoanálise sincera é também muito efetiva, pois ninguém melhor que você mesmo para identificar quais são suas limitações, onde vocês tem dificuldade, onde você apresenta menores resultados.

Observe o que lhe é demandado no dia a dia de trabalho e selecione competências que vão melhorar seus resultados de trabalho. Defina com seu Líder seu plano de desenvolvimento identificando as melhorias desejáveis em cada competência.

Exemplo: Se como resultado da avaliação, espera-se que você ultrapasse ou supere as expectativas da sua posição ou função, concentre naquelas competências que lhe permitirão:

⇒ Desempenhar excepcionalmente seu trabalho no próximo ciclo de avaliação
⇒ Evoluir a ponto de inovar em suas atividades, criar novas alternativas de trabalho para a área ou empresa, aprender atividade de outros postos de trabalho que completem o seu.

2. Estabeleça seu Plano de Desenvolvimento

Uma vez que tenha conhecimento de suas atividades e quais são as competências primordiais para entregar estas tarefas, você deve traçar um plano. Pensa em seu desenvolvimento como se fosse um projeto. A maioria das empresas chama este plano de PDI – Plano de desenvolvimento individual. Cm a colaboração do seu Líder ou até mesmo sozinho, descreva:

A tarefa, o nível a desenvolver e o motivo do desenvolvimento, sendo:
1. Alcançar e permanecer no nível requerido
2. Crescer no posto/na função além do requerido
3. Desenvolver-se visando uma nova função no futuro

⇒ Liste atividades propostas para melhorar em cada tarefa. Diferentes tipos de atividades podem ajudar-lhe, por exemplo: palestras, cursos, participação em projetos, trabalhar com um empregado”modelo e mais experiente”. É desejável que estas ações estejam associadas com seu ESTILO de APRENDIZAGEM preferido (assunto que tratarei em um próximo artigo, incluindo um teste de Estilos de Aprendizagem).

⇒ Liste recursos necessários e as pessoas que podem ajudar-lhe a desenvolver cada atividade proposta

⇒ Insira uma data para revisão das ações propostas e os indicadores desejáveis ou aqueles comportamentos ou objetivos que você gostaria de ver transformados em realidade como resultado do seu esforço.

3. Experimente a cada dia o aprendizado

Tornar-se um profissional melhor, uma pessoa melhor não é “trabalho de um dia” e sim um processo que se forma com o tempo. É um processo de autodesafios, de sair de sua zona de conforto. Listarei algumas dicas que lhe ajudarão a executar o seu plano. Pense em outras também.

⇒ Dedique entre 5 e 10 minutos no início do dia para pensar em “como pode se desenvolver” com as atividades que estão planejadas para aquele dia, ou seja, que tipo de desenvolvimento poderá adquirir com estas atividades. (considero aqui que você faz um planejamento diário de suas atividades, caso não tenha este hábito, precisa adquiri-lo).

⇒ Experimente coisas novas. A melhor maneira de crescer é aceitar correr riscos de maneira controlada, é sair de sua zona de conforto e buscar uma evolução consciente, testando, experimentando coisas, que não está habituado a fazer ou não se sente totalmente seguro em realizar. Busque pelo que não é ordinário. Pequenas ações no seu dia a dia, aprender algo novo todos os dias, fazer algo diferente do habitual todos os dias, etc.

⇒ Observe seu progresso. Não se critique, aceite suas limitações e persista. Peça opinião de seus colegas (aqueles que você confia naturalmente), de seu Líder. Faça uma autoanálise, contraste com sua própria opinião, mas não seja autocrítico demais. Crie momentos específicos para isso e seja disciplinado, por exemplo:

* Ao final da jornada resumindo em 5 minutos como foi seu dia, pontos positivos e oportunidades de melhoria.
* Revisões Periódicas do seu plano (mais detalhadas) no final de uma semana, quinzena, mês, trimestre, semestre.
* Momentos pontuais, como a conclusão de um projeto ou como você se saiu diante de uma situação de crise.
* Crie outras situações que façam sentido para você.

⇒ Mais importante! Coloque em prática o que aprender em cursos, palestras, livros, etc. Aprender e não praticar de nada serve. Lembre-se que 80% do que aprendemos será esquecido se não praticarmos nos três dias subsequentes ao aprendizado.

asdjasid

4. Peça feedback e apoio das pessoas mais próximas e de sua confiança.

A percepção dos demais será o melhor termômetro de seu desenvolvimento. Peça àqueles que trabalham com você, um colega que você admira e confia, um líder imediato uma opinião sincera e honesta a cerca do seu trabalho, da sua postura, seu comportamento e sugestões de como você pode melhorar.

Além disso, no dia a dia, recebemos de forma direta ou indireta, mensagens de reconhecimento ou crítica de clientes, colegas, e do Líder imediato, portanto, fique atento a estes sinais e mensagens.

Se não sentir que isto é suficiente, solicite um feedback formal, mas esteja preparado para ouvir com humildade. A princípio pode ser difícil, mas valerá a pena e com o tempo ficará bem natural tanto o pedir como o receber. Existe uma premissa que feedback nós ouvimos, aceitamos e agradecemos.

Outras formas das pessoas contribuírem com seu desenvolvimento:

⇒ Estimulando-lhe a tentar coisas novas, dando-lhe a oportunidade de assumir responsabilidades e erros sem que seja punido(a).
⇒ Oferecendo-lhe a apoio moral para que você possa expressar suas preocupações e medos sem receio.
⇒ Dando-lhe tempo para que possa concentrar-se em suas atividades de desenvolvimento.

Tabela 1 – Exemplo de Atividades de Desenvolvimento

tabela-aprendeasy

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>